Quarta-feira, 29 de Agosto de 2007

Sinceramente

Durante uns tempos fiquei sem Net (bem só foi durante um dia porque uma alma caridosa conseguiu resolver o problema num instantinho) mas e nos outros dias o que andei a fazer?!

Cuscos, não digo!

Não digo!

Não digo e não digo!

Pronto está bem, depois digo, mas agora não porque ainda estou irritada!

Então não é que a maluca (a vizinha de cá de baixo a quem a minha avó alugou a casa) foi inventar umas lindas coisinhas para depois a minha avó vir discutir com tudo e com todos?!

A sério, só me apetecia ir lá a casa dela e dar-lhe dois estalos (dois?! Talvez ela precisasse de mais) naquela cara feia e dizer-lhe umas coisas muito bonitas (que seriam as verdades que ela precisa ouvir) para ver se ela aprende, mas a minha avó também não me escapava também levava e ouvia umas coisinha (verdades, apenas verdades) tem a mania de calcar as pessoas e isso irrita-me.

Morri de vergonha quando a minha avó entrou pela varanda a dizer Mas que merda é esta??? Agora entra aqui qualquer um sem minha ordem é? Aquele portão é da vizinha não é para entrar por ali qualquer um.” - sim, então vendo bem se eu entrar por lá e avançar o muro (o que já fiz muitas vezes) vou ter sérios problemas não?! Se calhar a vizinha ou a minha avó também considera as pessoas que vivem com ela a 20 anos (eu só a 18 e já estou farta) qualquer umas.

A vizinha até veio bater ali à porta da sala com medo do homem até pensou que ele poderia entrar em casa dela e roubar-lhe algo, isto não se faz! Já não há respeito e aqui meus meninos a Sarinha passou-se Roubar?! O quê?? Até parece que alguém precisa da tralha da vizinha não?! Respeito?! Essa é para rir, entras aqui a discutir por causa de algo que não tem qualquer lógica, ainda acusas o senhor de ser um possível assaltante e ainda pedes respeito?!”

Tu cala-te que és uma mal educada, os teus pais nunca te souberam educar como gente, não tens qualquer tipo de educação!”

Desculpa?! Quem te dera a ti ter recebido uma educação tão boa como eu, mas infelizmente parece que não recebeste.”

(Calei-me, foi o melhor que fiz e deixa-a falar sozinha)

Passado dois minutos no máximoJá agora que merda é essa de andarem a discutir com a vizinha hã?? Aproveitam a minha ausência para isso é?”

Eu fiquei a pensar naquilo (era mentira, ninguém discutiu com a maluca de lá de baixo) passados uns segundos a minha mãe passou-se, o meu pai passou-se e eu aqui assim a olhar e com vontade de dar um berro, não dei um berro apenas disse a senhora dita minha avó Não podias esperar mais um pouco até o senhor ir embora para vires discutir pois não? Tinha de ser agora e na varanda que é para todos os que passam na rua poderem apreciar o espectáculo não é? Não tens vergonha? E depois sou eu a mal educada.”

Apetecia-me dizer mais umas coisas, mas não disse…

Apetecia-me dizer uns palavrões no meio das frases, mas não o disse, também se o disse-se iria estar a ser pior que ela e isso não quero ser.

Se não gosto dela?

Sinceramente já gostei mais!

É difícil gostar de alguém que passa a vida a calcar-nos a falar mal de nós e dos nossos pais nas nossas costas, é difícil gostar de alguém que passa a vida a criticar-nos, é difícil gostar de alguém que a única coisa que lhe interessa é o dinheiro que ainda para mais não é para ela, mas sim para dar ao neto que já tem uns 25 anos (vai ter 30 e ainda vai andar a depender do dinheiro que avó lhe dá) por último e isto sim é o que mais me irrita é que não consigo gostar de alguém que não dá valor a tudo aquilo que as pessoas fazem por ela  (sim, eu tenho uma avó muito fixe)!

Conclusão:

Estou farta disto!

.

publicado por Sol de Inverno às 09:12
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Terça-feira, 21 de Agosto de 2007

Passado #2

No ano passado queixava-me por causa da minha melhor amiga não ter tempo para mim, queixava-me do facto de ela passar a vida com o namorado, irritava-me o facto de ela não me ligar nenhuma, de ter passado para segundo plano, parecia que só estava comigo quando não tinha nada melhor para fazer ou então quando o namorado não podia estar com ela.
Pois…
Isso incomodava-me!
Não muito nem pouco… pronto…
Bastante!
Muitíssimo!
Ok…
Já entenderam!
Lembro-me até de pensar para mim mesma “fogo… se fosse comigo já me tinha fartado à muito tempo de estar com ele e muito provavelmente até já tínhamos terminado” outras vezes ainda pensava “fogo… esta com ele nas aulas… esta com ele fora das aulas… que seca do caraças… é por essas e por outras que nunca irei namorar com alguém que estude na mesma escola que eu” o pior de tudo é que eu ainda tinha a lata de comentar isto com ela…
Sim, sim… nas pouquíssimas vezes que estávamos juntas lembro-me perfeitamente de lhe dizer “foda-se… não te cansas?” e ela “Não… é tão bom estar com ele” e eu “Pois, pois…” mais tarde pensava em algo do tipo “É doida!”
A verdade é que não tive de esperar muito tempo até engolir tudo aquilo que dizia e pensava, pois, para a próxima já sei, estou mas é caladinha e pronto, assim evito levar com bocas do tipo “Para quem dizia…” é daquelas coisas que me deixam sem resposta e eu não gosto de ficar sem resposta e pronto!
A verdade é que sinto que um dia vou querer estar com ela e ela vai retribuir com a mesma moeda…
publicado por Sol de Inverno às 23:03
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

>mais sobre mim

>pesquisar

 

>Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

>posts recentes

> É de ficar com os cabelos...

> Pensamento

> Preciso de ti

> Diz-me

> Posso?

> Devagar

> Odeio

> E tu, és feliz?!

> Cromossomas

> Farta

>arquivos

> Julho 2008

> Março 2008

> Janeiro 2008

> Setembro 2007

> Agosto 2007

> Julho 2007

>tags

> todas as tags

>links

blogs SAPO

>subscrever feeds